Resultados Preliminares

Download do arquivo

Resultados Preliminares de Junho 2019

Junho 2019

As vendas de cimento no Brasil registaram de janeiro a junho um total de 25,8 milhões de toneladas, um crescimento de 1,5% em relação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Cimento (SNIC).

As vendas internas por dia útil em junho - que considera o número de dias trabalhados e tem forte influência no consumo de cimento - apresentaram alta de 1,8% em relação a maio e redução de 7,9% sobre junho de 2018.

Em junho foram vendidas 4,2 milhões de toneladas de cimento, uma queda de 15,7% em relação a junho de 2018.

Já nos últimos 12 meses (julho de 2018 a junho de 2019), as vendas acumuladas atingiram 53,1 milhões de toneladas de cimento, um aumento de 0,2% em comparação com o mesmo período anterior (julho de 2017 a junho de 2018).

Segundo Paulo Camillo, presidente do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC), os primeiros seis meses do ano vieram em linha com o projetado. “O desempenho de junho acabou ajustando a alta expansão do mês de maio de 2019, que teve origem o baixíssimo desempenho do mesmo mês do ano anterior ocasionado pela greve dos caminhoneiros. Essa expansão de 1,5% no primeiro semestre era esperada pela nossa previsão. A expectativa para o segundo semestre é de um crescimento bem mais robusto”, completa o executivo.

O mercado imobiliário continua ditando o ritmo do desempenho do setor. “O número de lançamentos imobiliários permanecem numa trajetória de alta. Já percebemos uma maior participação dos consumidores industriais, ou seja, da construção formal nas vendas de cimento. Nesse sentido, setores tais como de concreto e de artefatos a base de cimento voltaram a ganhar participação nas vendas. A expectativa da iminente aprovação da reforma previdenciária, em linha com esperado pelo Governo, somada a medidas favoráveis ao mercado que estão na agenda econômica, tem potencial para reinjetar otimismo no setor. Se essas ações se concretizarem, devemos seguir com a previsão de alta de 3,0% para o fechamento do ano”, afirmou o presidente.

 

Consumo aparente e importação

O consumo aparente de cimento em junho, que compreende as vendas internas mais as importações, totalizaram 4,2 milhões de toneladas, uma queda de 15,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior. O acumulado no primeiro semestre cresceu 1,4%.

Ao comparar o acumulado nos últimos 12 meses (julho de 2018 a junho de 2019), a alta no consumo atingiu 0,1% em relação ao mesmo período anterior (julho de 2017 a junho de 2018).

O Presidente Paulo Camillo Penna relata que as empresas de cimento continuam sofrendo com as constantes pressões nos seus custos, aumentos constantes nos preços dos insumos, combustíveis e energia elétrica tem afetando drasticamente a rentabilidade e o equilíbrio financeiro das empresas.

Outro fator de grande preocupação diz respeito à Politica Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas. As tabelas publicadas anteriormente aumentam significativamente o custo do frete, agravando ainda mais a saúde das empresas do setor.

Resultados Preliminares de Junho 2019

Resultados Preliminares de Junho 2019